HISTÓRIA DA ABRE

A ABRE nasceu dentro de um contexto muito especial. Em 1999 a Associação Mundial de Psiquiatria (WPA) lançou um programa de combate ao estigma da esquizofrenia, o “Open The Doors”, que chegou a ser desenvolvido em 20 países. O Brasil entrou neste programa em 2001 apoiado pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e pelo PROESQ (Programa de Esquizofrenia da UNIFESP). A iniciativa brasileira do Programa foi batizada de Projeto S.O.eSq.

Desde seu início o S.O.eSq. buscou envolver em todas as suas atividades profissionais, familiares e pessoas com esquizofrenia, gerando um novo campo de possibilidades para todos, através do protagonismo no combate ao estigma.

Ao final do ano de 2002, um grupo de familiares ligados ao S.O.eSq., a partir da constatação de que não existia uma associação brasileira que procurasse estruturar uma rede nacional voltada especificamente para esta doença, constituiu a ABRE. Em 2005, visando maior sinergia, o S.O.eSq fundiu-se à associação.

Desde sua criação a ABRE vem atuando principalmente para:

  • Difundir informação sobre a doença levando em  conta tanto o conhecimento científico como a perspectiva de das pessoas com esquizofrenia e seus familiares

  • Estimular a atuação em rede com outras organizações e instituições de saúde mental

  • Atuar junto aos meios de comunicação e na sociedade para eliminar o estigma da doença

  • Desenvolver conhecimentos e estratégias para melhorar a qualidade de vida das pessoas afetadas pela doença.

MISSÃO E VALORES

“Melhorar a qualidade de vida das pessoas com esquizofrenia e de seus familiares, defender seus direitos, eliminar o estigma, disseminar informações e promover o diálogo sobre a natureza e tratamento da esquizofrenia”.

Desde sua formação a ABRE reuniu pessoas que possuíam algumas crenças comuns. A primeira delas fundamenta-se no princípio de que o ser humano é muito maior do que a doença e é na compreensão de suas forças e potenciais que podemos alcançar a melhoria de sua qualidade de vida.

Para que esse caminho seja possível devemos também entender e aprender a respeitar a individualidade e diversidade do ser humano para possibilitar o estabelecimento de uma rede de cooperação em torno de causas comuns.

 Como consequência acreditamos que o ser humano traz em sua história algumas características que para nós são as forças que nos movem nesta jornada: o acolhimento, a fraternidade e a solidariedade.

Uma organização sem fins lucrativos, por trabalhar com recursos de terceiros, tem que se pautar também pela ética, transparência em suas ações e muito profissionalismo na utilização desses recursos.

 Desta consciência resultou nossa missão de melhorar a qualidade de vida das pessoas com esquizofrenia e de seus familiares, defender seus direitos, eliminar o estigma e disseminar informações sobre a natureza e tratamento da esquizofrenia.

QUEM SOMOS

Diretoria Executiva (Gestão 2017 – 2018)

  • Presidente: Nilton Vargas
  • Vice-Presidente: Jorge Cândido de Assis
  • Secretária: Cecília Cruz Villares
  • Tesoureiro: José Alberto Orsi
  • Rubens Ferreira (Diretor suplente)

Conselho Fiscal

  • Nicolla Raggio
  • Stella Reis Ventura
  • Cristina W. Nogueira (suplente)

Conselho de Gestão (2017-2018)

Cacau de Freitas

Caio Wilmers Manço

Cristiany Gomes Miguel

João Leite Ribeiro

Luciana Noronha

Mônica Della Nina

Reinaldo Garrido Russo

Rosana Azevedo Miguel

Vera Gomes

Coordenadores de Oficinas

Cacau de Freitas – Oficina de Artes

Cecília C. Villares – Oficina de Arranjos Florais

Chantal Cidonio – Oficina de Teatro

Chélica Pini – Oficina de Dança do Ventre

Cintia Soci – Oficina de Tai Chi Chuan

Danielle P. Sandrini Salameen – Oficina de Fotografia

João Leite Ribeiro – Oficinas de Escrita e Filosofia

Jorge Candido de Assis – Oficinas de Escrita e Filosofia

José Alberto Orsi – Oficina de Informática

Lilian Heidi Larm – Oficina de Yoga

Luciana Noronha – Grupo Projeto de Vida

Luciana Monteiro da Silva Vidigal – Oficina de Artes

Reinaldo Garrido Russo – Oficina de Música

Renata Kolisch – Oficina de Artes

Roberta Pregnaca – Oficina de Inglês

Solange Tedesco – Oficina de Teatro

Comunidade de Fala

Caio W. Manço (coordenador)

Dayan de Paiva

José Alberto Orsi (coordenador)

João Leite Ribeiro

Murilo Augusto Freitas

Vera Gomes (coordenadora)

Wagner Barbosa de Souza

Coordenadores da Biblioteca, Grupos de Acolhimento, Ponto de Apoio Ampliado e Grupo Projeto de Vida

Cecília C. Villares – Grupo de Acolhimento para Familiares

Dimas Ribeiro e Solange Tedesco -Biblioteca

José Alberto Orsi – Grupo de Acolhimento para pessoas com esquizofrenia

Luciana Noronha – Grupo Projeto de Vida

Solange Tedesco – Ponto de Apoio Ampliado

Voluntários estudantes – 2o/3o ano – monitores de Oficinas, Acolhimentos e atividades em geral

  • Chélica Pini
  • Gilvania Duarte
  • Jhenypher Valentini
  • Kennya Souza Silva
  • Maria Aparecida Matos
  • Mariana Domingos Nunes
  • Mariana Moralles Rizzo

Voluntários estudantes – 1o ano – monitores de Oficinas, Biblioteca, Apoio Ampliado e Grupo Projeto de Vida

Aline Sena Moreira

Ligianne Monteiro Okasaki

Luciane Delfino Medeiros

Maria Camila Messina Quaiotti

Matheus Dias Barbosa dos Santos

Paula Caran Solda

Renata Aparecida Brauna dos Santos

Tainã Paes da Silva

Tamiris Fernandes Martins dos Santos

Victória Gaiardo de Oliveira

Viviane Aparecida Machado

Familiares Voluntários – colaboradores no acolhimento e atividades educativas e culturais

Cristiany Gomes Miguel

Josefa Veríssimo Ribeiro

Kátia Cardoso Manço

Maria Luzinete Ribeiro (Netinha)

Mônica Della Nina

Mônica Van de Camp

Nelzi Ribeiro Faria

Nicolla Raggio

Rosana Azevedo Miguel

Rubens Ferreira

Stella Reis Ventura

Wagmar Barbosa

Yone Barbosa